O rito do livro que trata da imersão no silêncio


 

Por definição, lançar ou apresentar o silêncio é um paradoxo. O silêncio, alguém diria, não se explica ou descreve-se. Do que trata, afinal, uma vivência do silêncio, mediante o prisma iniciático de uma mulher brasileira que se lança para o infinito e perene do deserto? O que é isso, o silêncio? Como propor uma jornada ou experiência do silêncio, ou melhor, como delimitar uma atmosfera que sombreia as palavras de uma autora, no intuito de revelar uma textura pouco objetiva de vivências? Berta Lúcia e Armazém da Cultura oferecem, na quinta-feira, 8 de agosto de 2019, a pista intangível ou impossível, de um livro mesmo absurdo: onde o silencio governa a fala e não seu contrário, onde o silêncio recorta o mistério eclipsado. Convocamos linguagens do visual e do sinestésico para o lugar do rito sobre a matéria e o espaço, os intervalos afiados de um livro que é travessia entre mundos. Ao nosso lado, embora necessário de ser parido na cultura dos ruídos, é a oportunidade de recolher o enigma do silêncio como eixo de vida.                                                       Serviço: Lançamento exposição /instalação em 8/8, às 19h , no Armazém da Cultura (rua Jorge da Rocha, 154) . Preço do exemplar: 70 reais 


Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados