A história a partir dos gramados

Fosse um jogador de futebol, Airton de Farias seria um desses volantes que, uma vez roubada a bola, avançam em linha reta em direção ao gol, traçando um fio entre defesa e ataque. É essa mesma ligação direta que o historiador e amante do esporte bretão costura entre futebol e política.

Especialista em Copas do Mundo, Farias explica: é possível contar a história do Brasil a partir dos gramados. E não seria exagero dizer que esse jogo tem tudo para ir aos pênaltis em 2018, com as arquibancadas de cabelo em pé e o juiz da partida receoso do que poderá acontecer depois do apito final.

Autor de dois volumes sobre o maior evento esportivo do planeta, o cearense parte da linha de fundo para analisar os efeitos recentes do 7 a 1, que, de tão fundo na alma nacional, já dispensa até complementos. A referência ao placar é suficiente para fixar a dimensão da goleada sofrida pela seleção brasileira diante da Alemanha num Mineirão lotado na Copa de 20

Com dribles curtos, Farias traça então um paralelo entre a escolha dos Mundiais pela Fifa e a mudança do poder econômico no globo, passando de uma Europa em crise nos anos 2000 para os países que integram os Brics (Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul.

(Fonte: Jornal O POVO)            

Serviço: Livros Uma Historia da Copa 


Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados