No Dia Mundial do Livro, Unesco celebra o livro como janela para o diálogo e a tolerância

fonte NaçõesUnidas.Org

Em mensagem para o Dia Mundial do Livro e dos Direitos Autorais, lembrado em 23 de abril, a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoulay, afirmou que os livros “são aliados na difusão da educação, das ciências, da cultura e da informação para todas as partes do mundo”.

Para a dirigente, a palavra escrita consegue abrir caminho “para o respeito e a compreensão mútua entre as pessoas, independentemente das fronteiras e das diferenças”.

Ao promover livros e direitos autorais, a UNESCO apoia a criatividade, a diversidade e o acesso igualitário ao conhecimento, com o trabalho por todas as frentes - da rede de Cidades Criativas para a Literatura à promoção da alfabetização e da aprendizagem móvel e ao avanço do acesso livre ao conhecimento científico e aos recursos educacionais.

Com o envolvimento ativo de todas as partes interessadas: autores, editores, professores, bibliotecários, instituições públicas e privadas, ONGs humanitárias e os meios de comunicação de massa, e todos aqueles que se sentem motivados a trabalhar juntos nesta celebração mundial de livros e autores, o Dia Mundial do Livro e dos Direitos Autorais tornou-se uma plataforma para reunir milhões de pessoas em todo o mundo.

A partir desta terça-feira, a cidade de Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos, passa a ser reconhecida como Capital Mundial do Livro de 2019. O título reconhece o programa do município Leia, você está em Sharjah, que visa alcançar grupos marginalizados ao oferecer propostas criativas para encorajar a participação das populações migrantes e favorecer a inclusão social e o respeito.

“Nós nos unimos a Sharjah, a nossos parceiros, à Associação Internacional de Editores, à Federação Internacional de Livrarias e à Federação Internacional de Associações de Bibliotecários e Bibliotecas, bem como a toda a comunidade internacional, para celebrar os livros, considerando-os como a representação da criatividade e do desejo de compartilhar ideias e conhecimento, de modo a inspirar a compreensão, o diálogo e a tolerância”, completou Audrey

CIDADES CRIATIVAS

Até 30 de junho, cidades de todo o mundo podem submeter-se a fazer parte da rede, criada em 2004, de Cidades Criativas da Unesco que investem em cultura e criatividade para um mundo sustentável. Ao promover livros e direitos autorais, a UNESCO apoia a criatividade, a diversidade e o acesso igualitário ao conhecimento, com o trabalho por todas as frentes - da rede de Cidades Criativas para a Literatura à promoção da alfabetização e da aprendizagem móvel e ao avanço do acesso livre ao conhecimento científico e aos recursos educacionais.
Atualmente são 180 cidades de 72 países de todas as regiões do mundo. Tais cidades da Unesco têm a missão de dar lugar à criatividade e industria cultural no coração das estratégias de seu desenvolvimento, para tornar as cidades seguras, resilientes e sustentáveis, afim de alcançar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)- Agenda 2030, da ONU. http://www.agenda2030.com.br. (Sustainable Development Goals -SDGs).
O Brasil é membro da Unesco desde 4 de novembro de 1946. https://en.unesco.org/countries/brazil . No link a seguir , veja as cidades criativas no Brasil https://en.unesco.org/creative-cities/creative-cities-map .


Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados